Bonito e 100% reciclável: O Vidro!

É praticamente impossível não admirar vidros e espelhos. Além da variedade de suas aplicações, detalhes e usos em todas as esferas de decoração, construção, design e até em mágicas e cinema. Ouso dizer que depois dos espelhos o narcisismo e a vaidade se amplificaram, mas também deram mais beleza aos humanos. Abaixo uma lenda sobre sua criação e algumas ressalvas vindas da indústria.
Foto: Pixabay

"Os fenícios contam que ao voltarem à pátria, do Egito, pararam às margens do Rio Belus, e pousaram sacos que traziam às costas, que estavam cheios de natrão (carbonato de sódio natural, que eles usavam para tingir lã). Acenderam o fogo com lenha, e empregaram os pedaços mais grossos de natrão para neles apoiar os vasos onde deviam cozer animais caçados. Comeram e deitaram-se, adormeceram e deixaram o fogo aceso. Quando acordaram, em lugar das pedras de natrão encontraram blocos brilhantes e transparentes, que pareciam enormes pedras preciosas. Um deles, o sábio Zelu, chefe da caravana, percebeu que sob os blocos de natrão, a areia também desaparecera. Os fogos foram reacesos, e durante a tarde, uma esteira de líquido rubro e fumegante escorreu das cinzas. Antes que a areia incandescente se solidificasse, Zelu plasmou, com uma faca aquele líquido e com ele formou uma empola tão maravilhosa que arrancou gritos de espanto dos mercadores fenícios. O vidro estava descoberto."
Esta é uma das versões, um tanto lendária. Mas, notícias mais verossímeis, relatam que o vidro surgiu pelo menos 4.000 anos a.C.. Julga-se, entretanto que os egípcios começaram a soprar o vidro em 1.400 a.C., dedicando-se, primeiro, a produção de pequenos objetos artísticos e decorativos, muitas vezes eram confundidos com belas pedras preciosas. Sua decomposição é de 4000 anos. A cada 1000 kg de vidro leva-se 1300 kg de areia.

Fonte: Enciclopédia Trópico (Via Wikipedia)


Foto: Pixabay
Espelho meu...

O vidro é 100% reciclável, o que o torna um item importante no

universo da construção civil. Por meio da reciclagem, ele pode ser

utilizado infinitamente, sem perda de qualidade. Seu principal

atributo é a transparência, a qual proporciona integração entre os

ambientes externo e interno e, consequentemente, maior uso da

iluminação natural.



Os tipos especiais também apresentam

funcionalidades que colaboram com a sustentabilidade:

– Os vidros de controle solar contribuem com a eficiência energética

das edificações, proporcionando maior conforto térmico e

reduzindo o consumo de ar condicionado; – Os insulados (também

chamados duplos) mantêm a temperatura interna com menor

gasto de energia, seja para resfriar ou aquecer, e ainda oferecem

conforto acústico; – Os autolimpantes reduzem o consumo de

insumos para a limpeza; – Os painéis fotovoltaicos — também

compostos de vidro — permitem a autogeração de energia

elétrica.


Leia mais sobre o assunto em

https://abravidro.org.br/mercado/sustentabilidade/ - Todos

direitos são reservados à Associação Brasileira de Distribuidores e

Processadores de Vidros Planos - Abravidro. Este material não

pode ser publicado sem os devidos créditos.


Até breve!

Da redação - Dantas Solo